Arquivo de Etiquetas: hábitos alimentares

Dicas para evitar a flatulência

flatulência

A flatulência traduz-se num excesso de gases intestinais que pode afetar qualquer pessoa e em qualquer idade, independente do seu estado de saúde, estilo de vida e dos hábitos alimentares.

Alimentos como pão branco, feijão, batatas, repolho, ovos, couve-flor, milho, cebola, brócolos e refrigerantes são potenciais causadores de flatulência devido à sua fermentação no intestino.

A acumulação de gases provoca inchaço e dores abdominais, o que pode originar problemas de sociabilidade e desconforto. A prisão de ventre, colite e má digestão são algumas das doenças gastrointestinais que acabam por propiciar maior produção de gases, sendo que o sedentarismo e a ansiedade a agravar ainda mais.

Conheça a Dieta Montignac

dieta Montignac

Esta dieta, foi desenvolvida pelo médico francês Michel Montignac, a quem deve o seu nome. Montignac tornou esta dieta famosa em 1992, baseando-se na teoria de que a glucose é pouco recomendável e que deve ser evitada na alimentação.

Segundo Montignac, as dietas à base de redução de calorias são um erro, porque o corte que ocorre com este tipo de dieta é apenas temporário. Ao mesmo tempo, diz Montignac, a tendência é recuperar o peso, notando-se muitas vezes um aumento em relação ao peso inicial, originando desequilíbrios metabólicos e criando frustração.

Esta dieta permite comer de tudo com a condição de não misturar determinados alimentos que, segundo Montignac, fazem com que as gorduras se acumulem no corpo. Para o nutricionista, a gordura corporal é provocada acima de tudo pelos “maus” hábitos alimentares: é suficiente portanto adaptá-los a uma nova metodologia para se perder peso e aumentar a disposição física e intelectual.

Vantagens da Dieta Mediterrânea

vantagens da dieta mediterrânea

As doenças cardiovasculares representam uma das principais causas de morte, tendo como maiores fatores de risco a hipertensão arterial, o tabagismo, o stresse, o sedentarismo, o colesterol, a diabetes e os maus hábitos alimentares – caracterizados pelo excesso na ingestão de sal, gorduras e açúcares de absorção rápida, associados à ausência/consumo reduzido de legumes, vegetais e fruta fresca. A  dieta mediterrânea é exatamente o oposto desta alimentação incorreta, uma vez que promove hábitos alimentares saudáveis.

Elsa Feliciano, nutricionista da Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC), explica que “a dieta mediterrânica corresponde a um padrão alimentar que envolve características relacionadas tanto com os alimentos que ingerimos como com um conjunto de hábitos que fazem deste padrão alimentar um dos mais saudáveis do mundo”. Esta é uma dieta que se caracteriza, entre outras coisas, pelo facto de a quantidade de alimentos ingeridos ser totalmente adequada às necessidades do nosso organismo.

A nutricionista salienta ainda que a “base da pirâmide desta dieta, ou seja, os alimentos que entravam em maior quantidade no dia a dia, eram os cereais, sobretudo os mais escuros, através do pão, do arroz e da massa. Por outro lado, os legumes e a fruta faziam parte de praticamente todas as refeições e eram consumidos diariamente. Depois havia consumos moderados, a maior parte das vezes nem sequer diários, de carne, peixe, laticínios e leguminosas, que entravam na alimentação de uma forma bastante moderada, sendo que quando falamos de carne, falamos sobretudo de pequenos animais, tais como as aves de capoeira, o coelho e eventualmente o porco. As carnes vermelhas eram consumidas mensalmente e em menor quantidade”.

A Importância de tomar o café da manhã

A Importância de tomar o café da manhã

Embora seja uma das mais importantes refeições do dia, muitas das vezes, acabamos por esquecer ou despachar o café da manhã, tomando apressadamente um café e um bolo a caminho do trabalho.

É exatamente para o ajudar, a si e à sua família, a reestruturar os seus hábitos alimentares, que dedicamos este artigo a explicar os benefícios de tomar o pequeno-almoço em casa. Leia as indicações que se seguem, pense no seu caso em particular e reflita sobre o que pode mudar para se “reeducar”, no sentido de adquirir hábitos alimentares mais saudáveis.

Convém não esquecer!

Combater a obesidade e emagrecer com saúde

Combater a obesidade e emagrecer com saúde

Grande parte da população mundial tem atualmente problemas de peso, principalmente obesidade. Os obesos tendem a desenvolver doenças como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares. Para evitar os males desencadeados pela obesidade, os obesos devem incluir no seu dia-a-dia novas rotinas e hábitos alimentares mais saudáveis.

O mundo atual trouxe, sem dúvida, muitas vantagens e conquistas inegáveis. No entanto, também deu origem a que se desenvolvessem e/ou acentuassem o sedentarismo e o stress, que são comummente considerados dois dos maiores males da sociedade. A isso aliam-se as novas tendências na alimentação, principalmente o fast food, que hoje em dia faz parte da vida da maioria das crianças e adultos. Este tipo de comida tem um alto teor de gorduras saturadas, refrigerantes cheios de açúcar, salgadinhos com uma quantidade enorme de sódio e muitos outros exemplos de nutrição inadequada que criaram uma geração de pessoas obesas. Este tipo de alimentação aumenta o acumular de gordura sob a pele e, com o tempo, pode tornar-se crónica, pois cada vez é mais difícil livrar-se do excesso de peso somente com ajustes no regime alimentar.

O primeiro passo para combater a obesidade e perder peso de forma saudável é, sem dúvida, ter muita força de vontade. Não adianta começar se não tiver a determinação necessária para o fazer. Para dar esse passo, terá de adotar um estilo de vida mais saudável, que inclui novos hábitos alimentares.