Arquivo de Etiquetas: hábitos alimentares

Dicas saudáveis para emagrecer

emagrecer com saúde

Emagrecer sem afetar a saúde é possível, desde que siga uma alimentação equilibrada.

Em termos gerais, deverá aprender a equilibrar as suas ementas e faça uma alimentação saudável com alimentos pobres em gorduras, suprimindo as bebidas energizantes, gasosas, bebidas açucaradas e o álcool. Aliada a esta mudança de hábitos alimentares, deverá também assumir uma postura mais dinâmica, procurando fazer algum exercício físico (as caminhadas são uma excelente forma de se exercitar, caso não consiga “enfrentar” os desafios do ginásio).

Deixamos-lhe uma lista com dicas que lhe permitirão emagrecer com saúde, mantendo os níveis de energia em alta.

  • À noite, ao jantar, prefira alimentos pouco calóricos. Assim, não dorme de barriga muito cheia e evita que os alimentos se transformem em “depósitos de gordura”.
  • Apimente a refeição. A pimenta ajuda a acelerar o metabolismo, basta acrescentar duas colheres de chá na sua comida.
  • Aposte em alimentos que ajudam a emagrecer, como a linhaça, aveia e quinoa.
  • Aprenda a dizer não quando se trata de comer o que o seu organismo não precisa. A lei é simples, os excessos vão diretos para a balança.
  • Coma tranquilamente, de preferência num ambiente calmo. Não faça as refeições de pé ou em frente à televisão; sente-se à mesa ou num local tranquilo e faça desse um momento de prazer.
  • Coma um bom prato de salada antes da comida quente. Desta forma, estará mais saciada quando se servir dos alimentos mais calóricos.
  • Controle seus sentimentos sem recorrer à comida. Quando se sentir ansiosa ou triste, procure acalmar-se ou falar com alguém; nunca “desabafe” com o chocolate.
  • Durma bem e o número de horas suficientes para o seu corpo descansar. Diversos estudos já relacionaram a falta de descanso adequado ao excesso de peso.
  • Escolha os alimentos magros. Troque o leite ou iogurtes gordos pelas versões magras e economize na ingestão de calorias.
  • Escove os dentes logo após a refeição. O hábito, além de garantir uma boca saudável, previne a vontade de comer um docinho.
  • Evite comer feijão, repolho, couve-flor e pimento em demasia. Estes alimentos formam gases e podem dar origem a uma barriga mais saliente.
  • Faça dieta pelo menos três dias da semana. Se lhe for muito difícil seguir o plano alimentar durante a semana inteira, escolha pelo menos três dias para cortar as calorias. Nesses, consuma o mínimo de gordura, zero de fritura ou doces e não ingira refrigerantes.
  • Faça lanches entre as refeições. Comer pouco, mas várias vezes ao dia (de 3 em 3 horas), acelera o metabolismo e evita que coma demais.
  • Mantenha a saúde em dia. Controle os níveis hormonais e evite que qualquer disfunção possa atrapalhar seu emagrecimento
  • Mexa-se mais! Se tiver dificuldades em frequentar um ginásio, pratique diariamente 30 minutos de atividade física. Escolha modalidades do seu agrado ou que sejam práticas (andar de bicicleta, fazer caminhadas, subir escadas em vez de usar o elevador, entre muitas outras). Convide familiares e/ou amigos se isso lhe trouxer mais motivação.
  • Não exclua nenhum grupo alimentar da sua dieta. Os hidratos de carbono são tão importantes como a proteína e gordura saudável. Um prato saudável mistura todos os grupos alimentares de forma equilibrada.
  • Não saia de casa sem tomar o pequeno-almoço. Quem começa o dia com uma alimentação mais equilibrada, tende a seguir os mesmos passos nas restantes refeições.
  • Nunca faça exercícios em jejum! Sem combustível suficiente para o esforço, a intensidade da atividade e a queima de calorias sofrem uma redução.
  • Os alimentos integrais são a melhor opção. Troque a massa, farinhas ou arroz brancos pela variedade integral; as fibras ajudam a regular o trânsito intestinal e dão sensação de saciedade por mais tempo. Por outro lado, os farináceos brancos transformam-se rapidamente em gordura no corpo.
  • Os brócolos são ótimos auxiliares da dieta, pois ajudam a emagrecer. Isto passa-se, porque este legume tem poucas calorias e é rico em antioxidantes, que combatem as gorduras.
  • Planeie um passeio em família no fim de semana. Pode ser a pé, de bicicleta ou patins. Além de se distrair, estará a exercitar-se e a perder gorduras de forma divertida.
  • Prefira alimentos frescos. Além de se alimentar de forma mais saudável, ao abandonar os alimentos processados, reduz a quantidade de gordura e de sódio, retendo menos líquidos.
  • Reduza o consumo de bebidas alcoólicas.
  • Retire os queijos amarelos da sua alimentação e substitua-os por requeijão ou queijo fresco magro.
  • Se estiver com uma enorme vontade de comer um chocolate, a melhor hora para ingerir o doce é depois do almoço. Segundo os especialistas, o chocolate mistura-se com os outros ingredientes e o seu efeito é menor.
  • Se sair com amigos, faça opções saudáveis à hora da refeição, substituindo os refrigerantes por água ou as batatas fritas por legumes.
  • Substitua os refrigerantes por água; ao fazê-lo, estará a diminuir consideravelmente a ingestão de açúcares e poderá ingerir, em média, 150 calorias a menos.
  • Tem um amigo que precisa emagrecer? Forme dupla com ele, assim um incentiva o outro nos momentos de desânimo ou “preguiça”.
  • Troque a dieta pela reeducação alimentar. Os especialistas garantem que quem faz dieta tem mais tendência a oscilações de peso, mas quem opta pela reeducação alimentar, emagrece com saúde e mantém uma alimentação equilibrada e saudável.
  • Troque o elevador pelas escadas. Dependendo do número de andares que tiver de subir, esta simples mudança poderá significar um aumento de 15% no seu gasto calórico diário.
  • Troque o prato comum pelo de sobremesa. A falta de espaço vai obrigá-lo a comer menos.
  • Troque os fritos pelos assados ou grelhados. Com esta simples mudança nos seus hábitos alimentares, estará a reduzir a ingestão de calorias em cerca de 1/3.
  • Verduras escuras, como a rúcula e o espinafre, contêm uma quantidade significativa de fibras e ajudam na saciedade.

Dicas para nunca deixar de tomar o café da manhã

Dicas para nunca deixar de tomar o café da manhã

Embora sabendo que é importante tomar o café da manhã todos os dias, de preferência em casa e dando resposta às necessidades nutricionais do organismo após uma noite em jejum, nem toda a gente o faz. Há quem se queixe de falta de tempo para comer antes de sair de casa e também quem diga que não come por não ter apetite.

Neste artigo deixamos algumas dicas para que não saia de casa sem tomar o café da manhã, expondo alguns truques que pode pôr em prática, caso se sinta com falta de tempo ou de apetite para comer. O grande segredo está em fazer da refeição da manhã um momento de prazer e convívio familiar, aproveitando estes breves momentos para começar bem o dia.

Dicas para quem diz que não tem tempo

A Obesidade como doença crónica

obesidade

A alimentação é um dos aspetos que mais contribui para o bem-estar das pessoas, fornecendo-nos todos os nutrientes e calorias necessários para nos mantermos com energia e com um corpo saudável. No entanto, há diversos fatores que condicionam os nossos hábitos alimentares e o próprio estilo de vida, levando-nos a comer mais do que necessitamos. Como tal, a obesidade é cada vez mais notória, ao ponto de ser já considerada uma doença crónica.

Atualmente, o stress e a falta de tempo fazem parte do quotidiano da maioria das pessoas, que levam um estilo de vida marcadamente tenso. O dia de trabalho é muito preenchido e, muitas vezes, descuramos de uma alimentação equilibrada e saudável, saltando refeições ou ingerindo apenas salgados ou sandes que apenas colmatam a fome à hora do almoço. À noite, pelo contrário, tendemos a comer demais. Como resultado, a comida que ingerimos a mais a esta hora do dia, em que o organismo já não precisa de muita energia, uma vez que é durante a noite estamos em repouso, transforma em gordura que é armazenada no nosso corpo. Desta forma, obesidade vai-se instalando e torna-se uma doença silenciosa.

A obesidade é atualmente um dos principais problemas de saúde na maioria dos países industrialmente desenvolvidos. Em alguns países, como os Estados Unidos, por exemplo, a obesidade chega mesmo a ser considerada uma epidemia, sendo a causa de cerca de 300 mil mortes por ano. Quase metade dos americanos sofre de excesso de peso – incluindo pelo menos 1 em cada 5 crianças.

Siga uma Dieta Saudável e Controle o Stresse

dieta saudável sem stresse

O stresse afeta a maioria das pessoas e é um dos piores inimigos da saúde, conduzindo a uma dieta desequilibrada e pobre em nutrientes. Comer sempre que algo corre mal aumenta a nossa secreção de cortisol, uma hormona que favorece o aumento de peso e a retenção de líquidos.

Seguir uma dieta de emagrecimento é um processo que pode originar stress ou uma certa ansiedade. Mas, com um pouco de disciplina e força de vontade, é possível emagrecer sem stress. O segredo está na adoção gradual de hábitos alimentares saudáveis, não querendo atingir os objetivos em poucos dias. Uma dieta demasiado restritiva e curta só vai desencadear ansiedade  e uma grande sensação de frustração, pois não é fácil eliminar drasticamente alimentos saborosos do regime alimentar, cortar no açúcar, na gordura e nos refrigerantes, além de controlar rigorosamente as horas de cada refeição.

Quando estamos sujeitos ao stress, o tipo de alimentação tende a ser nutricionalmente mais pobre e mais calórico. A ansiedade associada ao stress, stress leva-nos a comer compulsivamente alimentos ricos em gorduras e açúcares que nos fazem engordar e que pouco (ou nada) beneficiam a nossa saúde.

Dicas para evitar a flatulência

flatulência

A flatulência traduz-se num excesso de gases intestinais que pode afetar qualquer pessoa e em qualquer idade, independente do seu estado de saúde, estilo de vida e dos hábitos alimentares.

Alimentos como pão branco, feijão, batatas, repolho, ovos, couve-flor, milho, cebola, brócolos e refrigerantes são potenciais causadores de flatulência devido à sua fermentação no intestino.

A acumulação de gases provoca inchaço e dores abdominais, o que pode originar problemas de sociabilidade e desconforto. A prisão de ventre, colite e má digestão são algumas das doenças gastrointestinais que acabam por propiciar maior produção de gases, sendo que o sedentarismo e a ansiedade a agravar ainda mais.