Laxantes tornam o intestino preguiçoso

laxantes tornam o intestino preguiçoso

Quando estamos com prisão de ventre, tendemos a recorrer aos laxantes para aliviar a obstipação e a consequente sensação de inchaço. No entanto, o uso frequente de laxantes pode não ser muito bom para a saúde, uma vez que tendem a inibir o funcionamento do intestino, tornando-o mais preguiçoso.

Existem dois tipos de laxantes:

  1. Laxantes Osmóticos
    Puxam a água contida nas paredes do intestino para o meio do órgão, fazendo o bolo fecal ficar mais pastoso e mais fácil de ser eliminado.
  2. Laxantes Irritantes
    Como o nome sugere, são laxantes que irritam a mucosa intestinal, estimulando o órgão a agir.

Apesar de usar técnicas diferentes, a ação dos dois tipos de laxantes é a mesma, pois ambos forçam o funcionamento do intestino com uma evacuação não fisiológica e promovem um resultado imediato.

O uso de laxante deve, por isso, ser controlado. Mas a atenção deve ser ainda maior com os laxantes irritantes, pois são mais prejudiciais a longo prazo.

Dizer pura e simplesmente que os laxantes viciam o intestino não é propriamente correto. No entanto, o organismo não pode de forma alguma tornar-se depende do seu uso para que haja evacuação; quando usados regularmente, os laxantes tornam-se efetivamente inibidores do normal funcionamento do intestino e, com o tempo, começam a surgir danos colaterais. Os prejuízos vão desde lesão nos nervos da parede intestinal até à obstipação irreversível, em que a pessoa não consegue evacuar sem utilizar algum método evasivo, num processo de dependência psicológica e não física.

É possível regular o intestino naturalmente, aumentando a ingestão de fibras e líquidos, mas esta é uma mudança que requer persistência  e perseverança, pois os efeitos não ocorrem instantaneamente.

Por outro lado, há que ter em mente que evacuar diariamente é uma regra que não se aplica a todos, já que cada organismo tem um funcionamento distinto.
O intervalo para eliminação das fezes pode variar de três vezes por dia a três vezes por semana e todos são considerados normais. Mas fugir disso não indica algum tipo de doença intestinal; isto porque, além da frequência, o diagnóstico de um problema intestinal é feito a partir de outros sintomas, como dor e inchaço, esforço excessivo durante a eliminação das fezes, sangramento e sensação de insatisfação após a evacuação.

Um erro frequente e com consequências muito negativas para a regularização do trânsito intestinal  é o abandono da dieta equilibrada assim que o intestino volta a funcionar. Isso só piora o problema, aumentando a dependência dos laxantes.

As frutas são um ótimo auxiliar natural para combater a prisão de ventre, nomeadamente a papaia, a manga, a ameixa e o figo. Mas, no geral, todas as frutas com casca o são, pois esta é rica em fibras e pode ser usada como aliada na dieta contra a prisão de ventre.

Algumas vezes, a alimentação é equilibrada, mas há uma certa resistência em evacuar, não obedecendo aos sinais do corpo; ora, se o reflexo do intestino não é respeitado, as fezes tendem a acumular-se. Enquanto isso, o intestino vai absorvendo a água contida nelas, dificultando a sua eliminação posterior.

TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DE LER:

Benefícios do exercício físico para a dieta e saúde
Mitos e Verdades sobre a diabetes
Princípios e benefícios da Dieta Mediterrânea
Benefícios e Propriedades Nutricionais do Tomate


Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>