Os Doces, a Dieta e a Saúde

os doces e a saúde

Os doces não fazem parte dos guias alimentares, como por exemplo a pirâmide alimentar, pois fornecem demasiadas calorias face aos restantes nutrientes essenciais que os constituem. Contudo, os doces são uma fonte importante de conforto emocional e de prazer.

A razão do nosso interesse pelo que é doce está provavelmente relacionada com a necessidade ancestral de assegurarmos a ingestão de energia fundamental à nossa sobrevivência, uma vez que os alimentos ricos em açúcar são naturalmente energéticos. Por vezes, o interesse por estes alimentos pode transformar-se num desejo muito intenso que surge periodicamente. Na realidade, o que provavelmente se passa é que simplesmente nos apetece um momento de prazer, pois precisamos de satisfazer uma necessidade emocional.

Nas pessoas saudáveis, o consumo de doces só constitui um problema quando se torna um hábito que leva a um aumento de peso ou restringe a ingestão de alimentos importantes. Verifica-se frequentemente que as pessoas limitam o consumo de farináceos (arroz, batata e leguminosas) para poderem comer doces sem o risco de engordarem;  esta  é  uma má prática, pois os farináceos são alimentos com nutrientes essenciais que os doces não fornecem.

Há ainda algumas pessoas que se sentem viciadas em doces – como pelo chocolate, por exemplo.  Contudo, não podemos falar de um vício propriamente dito, mas sim de uma dificuldade em resistir a certos alimentos pelos quais temos uma preferência especial.

A investigação evidencia que, atualmente, a ânsia por comida é um sentimento bastante comum, que quase todas as pessoas já sentiram num dado momento das suas vidas.

Para evitarmos perder o controlo sobre o consumo de alimentos doces, importa fazer uma alimentação saudável e seguir alguns princípios que não estão longe do que as nossas mães sempre nos aconselharam:

  • Os doces deverão ser consumidos ocasionalmente, por exemplo em momentos festivos;
  • Devem ser servidos de preferência como sobremesa, depois de assegurada a ingestão dos alimentos necessários ao bom funcionamento do organismo, ou seja, no fim de uma refeição que inclua sopa e prato com legumes/hortaliças e fruta;Caso se trate de um alimento transformado (alimento processado industrialmente), deverá optar-se por doces cujo teor em açúcar e gordura seja o mais baixo possível. Para o efeito, deverá consultar a informação nutricional do produto em causa.
Dr. Vítor Dauphinet, nutricionista (adaptado) / Fonte: Jornal do Modelo

TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DE LER:

Sabia que a maçã ajuda a reduzir a ingestão de calorias?
Princípios e benefícios da Dieta Mediterrânea
Dicas e Curiosidades sobre nutrição e dietética
Conheça os alimentos que diminuem o colesterol


Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>