Distúrbios Alimentares: anorexia nervosa e bulimia

anorexia e bulimia

A anorexia é uma patologia recente, baseada num distúrbio alimentar, tendo começado a ser designada anorexia nervosa em 1993.

O termo anorexia significa «perda de apetite», no entanto o que se passa na realidade é que a pessoa com anorexia mantém o seu apetite normal, mas este é severamente controlado, ao ponto de ser ingerida diariamente uma quantidade ínfima de calorias.

Este distúrbio tem início habitualmente na adolescência; no entanto poder-se-á manifestar também na infância ou já na fase adulta – entre os 30 e os 40 anos de idade. Ultimamente tem-se vindo mesmo a verificar uma tendência crescente de manifestação da doença nesta última fase.

Trata-se de uma doença grave e com um prognóstico muito discreto, sendo marcada por uma restrição cada vez mais acentuada de alimentos até ao ponto de só serem ingeridas saladas, fruta ou vegetais.

Principais sintomas da Anorexia Nervosa:

  • Medo de engordar
  • Restrição da alimentação
  • Perda excessiva de peso
  • Prática excessiva de exercício físico
  • Na jovem/mulher, os períodos menstruais tornam-se irregulares ou mesmo inexistentes.

É uma doença muito difícil de tratar, pois uma pessoa anorética nunca se assume como tal. A consulta de um médico é normalmente feita pela mão de terceiros, e com muito esforço da parte destes. Quando o anoréctico se dirige voluntariamente a uma consulta, fá-lo com o intuito de emagrecer mais e não para se curar, dado que não concebe que esteja doente.

O tratamento da anorexia é assegurado por uma equipa multidisciplinar de especialistas que trabalha as várias vertentes associadas à doença – um psiquiatra, um psicólogo, um nutricionista e um dietista.

No caso da bulimia, embora, por vezes, os sintomas sejam comuns, trata-se de um distúrbio alimentar mais fácil de tratar, uma vez que os bulímicos estão geralmente em conflito consigo próprios.

Tal como as anoréticas, as pessoas bulímicas sofrem de um medo desmesurado de ganhar peso mas, ao contrário das primeiras, normalmente conseguem manter o seu peso normal. Isto passa-se sobretudo porque os bulímicos têm episódios de alimentação compulsiva em que ingerem grandes quantidades de alimentos gordos em muito pouco tempo, sendo depois compensados através da indução do vómito e do uso de laxantes.

Apesar de toda esta situação ser extremamente desconfortável, cria-se um ciclo vicioso que não conseguem ultrapassar e este padrão caótico de alimentação instala-se. A pessoa com bulimia sente-se frequentemente culpada e envergonhada pelos seus comportamentos mas tenta escondê-los a todo o custo.

Principais sintomas da Bulimia:

  • Medo de engordar
  • Alimentação compulsiva
  • Uso excessivo de laxantes e/ou indução do vómito
  • Peso normal
  • Nas jovens/mulheres, os períodos menstruais tornam-se irregulares

Acontece frequentemente a bulimia desenvolver-se após um período de meses ou anos de sintomas anoréticos. De facto, a pessoa anorética pode desenvolver os sintomas próprios da bulimia, tentando eliminar o que ingeriu, de modo a controlar o peso. No entanto, ao contrário das pessoas que sofrem de bulimia nervosa, nas anoréticas o peso caracteriza-se por ser muitíssimo baixo e a escassez acentuada de nutrientes pode mesmo levar à morte.

O primeiro passo para tratar estes distúrbios alimentares será, obviamente o reconhecimento das mesmas.

Estatisticamente, as mulheres sofrem destas perturbações dez vezes mais do que os homens.

CONSEQUÊNCIAS DA ANOREXIA NERVOSA E DA BULIMIA

anorexia bulimia Distúrbios Alimentares: anorexia nervosa e bulimia

A anorexia e a bulimia são distúrbios alimentares de risco, que podem ter graves consequências para a saúde, podendo mesmo conduzir à morte. A família tem um papel muito importante na deteção de sintomas e acompanhamento do paciente, devendo recorrer-se à ajuda de profissionais competentes – psicólogo, psiquiatra), nutricionista e dietista – para solucionar este problema.

 Distúrbios Alimentares: anorexia nervosa e bulimia

TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DE LER:

Conheça os nutrientes: Sais Minerais – Selénio
Receita de sumo para a insónia
Características e Benefícios do chá Amarelo
Alimentos que estimulam o bronzeamento


Um Comentário para Distúrbios Alimentares: anorexia nervosa e bulimia

  1. Anónima diz:

    Não me recordo mais dos porquês
    mas desde sempre simplesmente não queria comer, não era teimosia,
    simplesmente sentia-me triste
    como num mundo errado e estranho, mesmo do alto de meus poucos 3, ou 4 anos
    o mundo era frio…e vazio
    não queria estar aqui, ou queria apenas um abraço
    mas ninguém percebia…e o abraço não vinha.
    cresci e lia e fugia num mundo que não existia para além da imaginação.
    sentia-me feliz nos livros
    e comecei tambem a escrever
    cresci um pouco mais e percebi que mesmo que eu não assim pensasse
    consideravam-me bonita, gira.
    mas o mundo a minha volta, mesmo que perfeito aos olhos de muitos,era deveras cruel
    e as pessoas analisavam cada detalhe, e mesmo o primeiro namorado,
    dizia…encolhe a barriga, na praia, no verão…na rua
    vais sair assim…com borbulhas?
    e ja aos 15 anos comecei a ginastica todos os dias
    e ja quase nem comia, a fome desapareceu
    a solidão…continuou
    mesmo para a familia
    nada parecia bom o suficiente.
    era preciso ser quase perfeito para ser amado e aceite num mundo como este.
    da anorexia a bulimia, depende do tempo…do momento…do ano.
    a dor da alma é tamanha que a fome já nem se sente
    os gritos no silencio dos actos são tão altos
    mas ninguém ouve, percebe ou sente
    o que realmente se passa no coração de uma adolescente.
    O espelho mostrava-me uma pessoa triste, sem com
    os outros viam uma rapariga girissima e os assedios mais assustavam-me
    do que alegravam-me,
    mas, se assim não fosse, se não fosse a ginastica diaria,
    o cuidado extremo, a solidão seria ainda maior.
    deixa-se de comer uma coisa e outra e quando se percebe, quase não sobra nada
    o peso é pouco mas ainda não é insuficiente,
    e por isso, o corpo parece perfeito,e ninguém repara.
    mas a alma sente a dor
    que a sociedade impõe actualmente para que alguem seja aceite.
    admiradores não faltam mesmo na idade adulta, dado que cresci
    mas não desejo a ninguém a dor que sinto dentro de mim
    levei mais que imensos anos para gostar de mim como sou
    e mais uns tantos para não me importar com o que pensem
    mas a ginastica continua a ser diaria
    e a fome, não sei o que é isso,
    e muitas vezes não consigo comer
    e se como demais, vomito automaticamente.
    deito-me para que a comida permaneça no estomago
    e tenha o peso normal para minha altura
    por vezes as gengivas sangram ao lavar os dentes
    por outras tomo vitaminas quando penso que é altura.
    continuo a ser seguida nas ruas por homens que apenas viram-me o estomago
    com seus assedios, e fazem-me chorar ao chegar a casa, gritar nas almofadas.
    continuo a ser elogiada pela aparencia, onde quer que vá.
    e sei que nem me conhecem, nem sabem quem sou,
    nem gostam de mim realmente, mas apenas da imagem que vêem
    porque muitas vezes deixam-me sozinha quando realmente preciso de alguém.
    nunca escrevi a esse respeito
    mas hoje decidi escrever aqui
    parte de minha historia
    desde que me recordo
    não como quase nada, sempre fui assim
    mas não desejo a ninguem que seja como eu
    todas as pessoas, independentemente do peso e aparencia
    tem a sua propria beleza
    e tem alguem em algum lugar do mundo
    que se sentira atraido por essa beleza, com o qual podera ser feliz.
    ter uma aparencia que atrai muita gente
    traz tristeza porque surgem urubus e vespas
    que causam apenas dor e tristeza.
    e assim é dificil decifrar as intenções de quem se aproxima.
    a felicidade não esta no peso da pessoa, nem na cor de seus cabelos
    ou comprimentos de suas pernas, esta o tempo todo a nossa volta
    não nas coisas grandes, mas nas coisas pequenas
    e cabe apenas a nós escolher durante o dia
    entre chorar ou sorrir pelas coisas que nos acontecem.
    não penso que um dia mudarei, mas aprendi a gostar de mim como sou,
    e a dar-me cada vez uma nova chance
    quando não consigo o que queria
    a prometer que vou tentar alimentar-me direito e não vomitar
    e se não consigo, amanhã é um novo dia e tentarei
    porque dores que ja existem há quase 40 anos
    não se vão embora num só dia.
    anorexia, bulimia, por vezes andam escondidas
    no meio de tristezas de quem jamais as contaria
    não vale a pena
    ja vi em blogs pessoas a falar contra a anorexia e a seguir dizerem que vão a ginastica ou criticarem alguem mais gordo, muita incoerencia e hipocrisia.
    muita pressão
    cada qual é giro como é
    todas as pessoas tem sua beleza
    e esta, se não vem da alma, é vazia e não vale a pena.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>