Conheça os aditivos alimentares

aditivos alimentares

Os aditivos são substâncias ou misturas destas, que podem ter ou não valor nutritivo e que são intencionalmente adicionadas aos alimentos com a finalidade de impedir alterações, manter, dar ou intensificar o seu aroma, cor e sabor, modificar ou manter o seu estado físico, desde que não prejudique o seu valor nutritivo.

A maioria dos alimentos tem um ou vários aditivos “E” na sua composição. Embora conotados negativamente, nem todos eles são maléficos para o organismo. Por exemplo, E300 é a indicação dada para o ácido ascórbico (vulgo vitamina C), E-160b nada mais é do que licopeno, um poderoso antioxidante benéfico para a saúde da próstata e o E150 é um corante natural tão simples como o caramelo.

Os aditivos alimentares (E) agrupam-se nas seguintes categorias:

Antiaglomerantes – E500 a E599
Os aditivos antiaglomerantes evitam a aglomeração de partículas de produtos em pó.

Antiespumantes – E570, E900
Aditivos que reduzem ou impedem a formação de espuma nos alimentos.

Antioxidantes e Reguladores de acidez – E300 a E399
Conservam os alimentos, inibindo os efeitos do oxigénio, sendo em geral benéficos para a saúde. Alguns alimentos, como os citrinos possuem naturalmente substâncias que actuam como antioxidantes. Os acidulantes são muito usados em refrigerantes e sumos, em derivados do leite, doces e também em maioneses.

Aromatizantes – E600 a E699
Os aditivos aromatizantes intensificam o sabor original e/ou o aroma dos alimentos. Podem ser:
Naturais: extraídos directamente de vegetais, geralmente sob a forma de óleos.
Artificiais: produzidos sinteticamente, tendo uma estrutura química não encontrada na natureza.
Idênticos aos naturais: produzidos sinteticamente e com uma estruturação química igual ao composto natural.
Naturais reforçados: aromatizantes naturais aos quais são adicionadas substâncias sintéticas.
Os aromatizantes artificiais são mais usados por serem mais baratos que os naturais, tendo uma vasta utilização em diversos tipos de alimento, especialmente doces.

Conservantes – E200 a E299
Os conservantes previnem os estragos causados nos alimentos por fungos, bactérias e outros microorganismos. São usados em variadíssimos tipos de alimentos, como conservas, quejos, massas, doces, refrigerantes, refrescos, cervejas, licores, vinhos e vinagres
.

Edulcorantes (adoçantes) – E950 a E967
São adicionados para adoçar os alimentos, reduzindo a energia fornecida pelo alimento ou por poderem ser ingeridos por diabéticos.

Emulsionantes, espessantes, estabilizadores e gelificantes      – E400 a E499
Os emulsionantes fazem com que a água e óleos permaneçam misturados numa emulsão, como na maionese.

Os espessantes são utilizados para melhorar a textura e a consistência de determinados produtos, sendo empregues principalmente em gelados, iogurtes, molhos, margarinas, geleias artificiais, doces, pastilhas, recheios e coberturas de bolos.

Os aditivos estabilizadores mantêm a homogeneidade dos alimentos, sendo muitos deles são também espessantes. Estes aditivos são empregues em produtos como gelados, iogurtes, doces, molhos, coberturas, bolos, pudins e pastilhas.

Os gelificantes, como o próprio nome indica, são aditivos que dão textura aos alimentos a partir da formação de um gel.

Humidificantes – E325, E420, E422, E1200
Evitam que os alimentos sequem ou apodreçam, ou seja, evitam o ressecamento, além de ajudar a controlar a presença de micróbios ao diminuir a actividade de água do alimento. Os humidificantes fazem com que os alimentos, quando armazenados em ambiente húmido, captem a humidade do ar e, quando armazenados em ambiente seco, evitam o ressecamento soa alimentos.
Estes aditivos são usados principalmente em biscoitos, doces e chocolates.

Sulfitos – E220 a E228
Os sulfitos são utilizados como antioxidantes na indústria alimentar. Inibem a deterioração provocada por bactérias, fungos filamentosos e leveduras em alimentos ácidos, e na inibição de reacções de escurecimento. Estão presente em muitos vinhos e na indústria alimentar. A sua utilização deve estar presente na rotulagem dos alimentos, pois os sulfitos são suspeitos de provocar muitas reacções adversas, como dor de cabeça, asma, tensão baixa, sensação de ondas de calor, distúrbios intestinais, taquicardia, fraqueza e ansiedade.

Químicos adicionais – E1100 a E1599
Aditivos químicos que não se encaixam no actual sistema de classificação por serem recentes.

Há aditivos aceitáveis, como os conservantes e os acidulantes, por exemplo, cuja utilização se justifica em certos casos. Outros têm um efeito cumulativo, não trazendo problemas se ingeridos em pequenas doses, como os edulcorantes e emulsionantes. No entanto, também existem aditivos cuja utilização é desnecessária, uma vez que se utilizam para disfarçar defeitos de qualidade ou melhorar, de forma artificial, as características dos alimentos. Exemplo disso são os intensificadores de sabor ou até os corantes.

Segue-se uma lista de trinta aditivos que deve controlar, não só porque podem ter um efeito cumulativo mas também porque a sua acção é duvidosa, dado não haver estudos conclusivos sobre a sua segurança.

  • E102: Tartracina
  • E110: Amarelo alaranjado
  • E122: Azorrubina
  • E127: Eritrosina
  • E161: Cantaxantina
  • E210: Ácido benzóico
  • E211: Benzoato sódico
  • E212: Benzoato potássico
  • E213: Benzoato cálcico
  • E220 a E228: Sulfitos
  • E230: Bifenilo
  • E231: Ortofenilfenol
  • E232: Ortofenilfenato sódico
  • E249: Nitrato potássico
  • E250: Nitrito sódico
  • E251: Nitrato sódico
  • E252: Nitrato potássico
  • E310 a E312: Gaiatos
  • E320: Butilhidroxianisol
  • E321: Butilhidroxianisol
  • E339: Ortofosfato de sódio
  • E340: Ortofosfato de potássio
  • E341: Ortofosfato de cálcio
  • E510: Cloreto de amónio
  • E543 e E544: Polifosfatos
  • E620 a E625: Glutamatos
  • E950: Acesulfamo K
  • E951: Aspartame
  • E952: Cidamato
  • E954: Sacarina

Conhecer os aditivos alimentares é, pois, a melhor forma de os poder controlar.

TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DE LER:

Dicas saudáveis para emagrecer
Alimentação Saudável: boas razões para comer ovos
Cortisol: a hormona do stresse que influencia o peso
Chocolate Preto ajuda a diminuir a pressão arterial


Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>