Tratamentos

Distúrbios Alimentares: anorexia nervosa e bulimia

anorexia e bulimia

A anorexia é uma patologia recente, baseada num distúrbio alimentar, tendo começado a ser designada anorexia nervosa em 1993.

O termo anorexia significa «perda de apetite», no entanto o que se passa na realidade é que a pessoa com anorexia mantém o seu apetite normal, mas este é severamente controlado, ao ponto de ser ingerida diariamente uma quantidade ínfima de calorias.

Este distúrbio tem início habitualmente na adolescência; no entanto poder-se-á manifestar também na infância ou já na fase adulta – entre os 30 e os 40 anos de idade. Ultimamente tem-se vindo mesmo a verificar uma tendência crescente de manifestação da doença nesta última fase.

Nova abordagem sobre a anorexia

anorexia

Classificada como um distúrbio alimentar, a anorexia nervosa pode estar relacionada com alterações na zona do cérebro que processa a informação sobre o paladar.

A conclusão é de um estudo levado a cabo por investigadores das Universidades de Pittsburgh e da Califórnia, envolvendo 16 mulheres que recuperaram da doença e cuja reacção a vários sabores foi comparada à de mulheres saudáveis através de ressonâncias magnéticas. No caso das antigas anoréticas, a resposta cerebral ao sabor foi menos intensa, provando que têm mais dificuldade em associar a comida ao prazer.

Sumo para diminuir o Colesterol

Sumo para diminuir o Colesterol

Esta receita de sumo, além de contribuir para uma dieta equilibrada, é especialmente indicada para diminuir os níveis de colesterol no sangue.

Alia eficazmente ingredientes como a maçã, a salsa a cenoura e o gengibre, cujas propriedades nutricionais são reconhecidas como grandes aliadas da saúde, contribuindo para uma diminuição do colesterol.

Ingredientes:

Cortisol: a hormona do stresse que influencia o peso

cortisol alto

O cortisol é uma hormona diretamente envolvida na resposta do organismo ao stress. Devido à sua ação, é conhecida como a hormona do stress, pois ativa respostas do corpo perante situações de emergência, aumentando a pressão arterial e o açúcar no sangue, ao mesmo tempo que propicia energia muscular.

Como as situações de stress são pontuais, os níveis hormonais e o processo fisiológico voltam à normalidade assim que o problema é superado. No entanto, quando o stress é prolongado, os níveis de cortisol no organismo disparam, desequilibrando os níveis considerados saudáveis.

O excesso de cortisol desencadeia um trabalho acrescido das glândulas suprarrenais, provocando retenção de líquidos e acumulação de gordura. Quando o corpo está em alerta, a hormona diminui a combustão calórica, a fim de poupar energia em caso de perigo.

Causas e tratamento da obesidade

causas e tratamento da obesidade

Uma das causas da obesidade é uma mutação genética que grande uma percentagem dos obesos sofre e que os leva a terem uma fome compulsiva e a preferirem alimentos muito calóricos.

No entanto, convém não esquecer que o meio ambiente tem um papel relevante na manifestação deste fator determinante da obesidade. A título de exemplo, podemos salientar que os filhos de pais obesos têm 80% de hipóteses de virem a ser gordos, sobretudo devido aos maus hábitos alimentares passados de geração em geração.

SINAIS DE ALERTA!
As crianças tenderão a tornar-se adultos obesos quando…