Bem-estar

Obesidade Abdominal: as gorduras inimigas da saúde

obesidade abdominal

A obesidade abdominal, para além de ser altamente inestética, afeta gravemente a saúde, sendo mesmo considerada a gordura mais prejudicial ao corpo humano.

De acordo com um estudo feito a cerca de 45 mil mulheres, a gordura abdominal aumenta o risco de morte, mesmo nas que apresentam um índice de massa corporal (IMC) considerado normal.

A obesidade abdominal está ligada ao desenvolvimento de vários fatores de risco para o coração, como níveis de colesterol, resistência à insulina, diabetes, hipertensão e trombose; além disso, estas gorduras aumentam também o risco de cancro – em especial da mama, útero, cólon, intestino grosso e rins.

Receita de Sumo para fortalecer o sistema imunológico

sumo para fortalecer o sistema imunológico

Esta receita de sumo é muito saudável e está particularmente indicada para fortalecer o sistema imunológico, enquadrando-se perfeitamente no regime alimentar de uma dieta equilibrada.

Ingredientes:

  • 1 folha de couve
  • 1 punhado de folhas de hortelã
  • 1 punhado de folhas de salsa
  • 2 cenouras
  • 2 maçãs
  • 200 ml de água de coco (opcional)

Vantagens da Dieta Mediterrânea

vantagens da dieta mediterrânea

As doenças cardiovasculares representam uma das principais causas de morte, tendo como maiores fatores de risco a hipertensão arterial, o tabagismo, o stresse, o sedentarismo, o colesterol, a diabetes e os maus hábitos alimentares – caracterizados pelo excesso na ingestão de sal, gorduras e açúcares de absorção rápida, associados à ausência/consumo reduzido de legumes, vegetais e fruta fresca. A  dieta mediterrânea é exatamente o oposto desta alimentação incorreta, uma vez que promove hábitos alimentares saudáveis.

Elsa Feliciano, nutricionista da Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC), explica que “a dieta mediterrânica corresponde a um padrão alimentar que envolve características relacionadas tanto com os alimentos que ingerimos como com um conjunto de hábitos que fazem deste padrão alimentar um dos mais saudáveis do mundo”. Esta é uma dieta que se caracteriza, entre outras coisas, pelo facto de a quantidade de alimentos ingeridos ser totalmente adequada às necessidades do nosso organismo.

A nutricionista salienta ainda que a “base da pirâmide desta dieta, ou seja, os alimentos que entravam em maior quantidade no dia a dia, eram os cereais, sobretudo os mais escuros, através do pão, do arroz e da massa. Por outro lado, os legumes e a fruta faziam parte de praticamente todas as refeições e eram consumidos diariamente. Depois havia consumos moderados, a maior parte das vezes nem sequer diários, de carne, peixe, laticínios e leguminosas, que entravam na alimentação de uma forma bastante moderada, sendo que quando falamos de carne, falamos sobretudo de pequenos animais, tais como as aves de capoeira, o coelho e eventualmente o porco. As carnes vermelhas eram consumidas mensalmente e em menor quantidade”.

Guia de alimentação para controlar o colesterol

Controle o seu colesterol.

O colesterol alto é um problema que abrange grande parte da população. Mas, para saber como controlar o colesterol, é necessário, antes de mais, saber o que é o colesterol para depois entender o impacto que a alimentação pode ter neste processo.

O colesterol é um tipo de gordura que se encontra naturalmente no nosso organismo, sendo fundamental para o seu funcionamento, já que é o componente estrutural das membranas celulares do nosso corpo e também está presente no cérebro, nervos, músculos, pele, fígado, intestinos e coração. Além disso, o organismo usa o colesterol para produzir várias hormonas, vitamina D e ácidos biliares que ajudam bastante na digestão dos alimentos que comemos, e isso é importante para a nossa saúde.

Existem dois tipos de colesterol:

Mitos e Verdades sobre Dietas e Alimentação

dietas e alimentação

Apesar da informação amplamente divulgada hoje em dia, os mitos sobre alimentação parecem ganhar cada vez mais peso na vida das pessoas.

A American Dietetic Association inventariou uma série de mitos que passaram a ser considerados verdade de tanto serem defendidos:

MITO 1
As frutas e verduras frescas são mais saudáveis que as congeladas ou enlatadas.
Pesquisas científicas demonstraram que os alimentos congelados e enlatados são tão nutritivos como os frescos. Um facto curioso é que o organismo absorve melhor o licopeno presente no tomate quando este é processado.