Atividade Física

Vantagens da Dieta Mediterrânea

vantagens da dieta mediterrânea

As doenças cardiovasculares representam uma das principais causas de morte, tendo como maiores fatores de risco a hipertensão arterial, o tabagismo, o stresse, o sedentarismo, o colesterol, a diabetes e os maus hábitos alimentares – caracterizados pelo excesso na ingestão de sal, gorduras e açúcares de absorção rápida, associados à ausência/consumo reduzido de legumes, vegetais e fruta fresca. A  dieta mediterrânea é exatamente o oposto desta alimentação incorreta, uma vez que promove hábitos alimentares saudáveis.

Elsa Feliciano, nutricionista da Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC), explica que “a dieta mediterrânica corresponde a um padrão alimentar que envolve características relacionadas tanto com os alimentos que ingerimos como com um conjunto de hábitos que fazem deste padrão alimentar um dos mais saudáveis do mundo”. Esta é uma dieta que se caracteriza, entre outras coisas, pelo facto de a quantidade de alimentos ingeridos ser totalmente adequada às necessidades do nosso organismo.

A nutricionista salienta ainda que a “base da pirâmide desta dieta, ou seja, os alimentos que entravam em maior quantidade no dia a dia, eram os cereais, sobretudo os mais escuros, através do pão, do arroz e da massa. Por outro lado, os legumes e a fruta faziam parte de praticamente todas as refeições e eram consumidos diariamente. Depois havia consumos moderados, a maior parte das vezes nem sequer diários, de carne, peixe, laticínios e leguminosas, que entravam na alimentação de uma forma bastante moderada, sendo que quando falamos de carne, falamos sobretudo de pequenos animais, tais como as aves de capoeira, o coelho e eventualmente o porco. As carnes vermelhas eram consumidas mensalmente e em menor quantidade”.

Mitos e Verdades sobre Dietas e Alimentação

dietas e alimentação

Apesar da informação amplamente divulgada hoje em dia, os mitos sobre alimentação parecem ganhar cada vez mais peso na vida das pessoas.

A American Dietetic Association inventariou uma série de mitos que passaram a ser considerados verdade de tanto serem defendidos:

MITO 1
As frutas e verduras frescas são mais saudáveis que as congeladas ou enlatadas.
Pesquisas científicas demonstraram que os alimentos congelados e enlatados são tão nutritivos como os frescos. Um facto curioso é que o organismo absorve melhor o licopeno presente no tomate quando este é processado.

Mitos e Verdades sobre a diabetes

Mitos e Verdades sobre a diabetes

A diabetes é uma doença que pode ter efeitos muito adversos para o organismo. No entanto, nem tudo o que se diz acerca da diabetes é Verdade, sendo muitas vezes criados mitos com base em preocupações ou porque não se entende verdadeiramente a doença.

Vejamos, então, o que é Mito ou Verdade quando se fala sobre a diabetes.

MITO:
O açúcar provoca diabetes.
Errado!
Pensa-se que a diabetes tipo 1 seja causada por factores genéticos em combinação com factores ambientais desencadeadores da doença. A diabetes tipo 2 é provocada por uma combinação de factores genéticos e de estilo de vida. As pessoas com diabetes precisam mesmo de restringir os alimentos que são fontes importantes de açúcar, mas podem ingerir açúcar em quantidades moderadas.

Aprender a viver com a diabetes

aprender a viver com a diabetes

As pessoas diabéticas que correm mais risco são as que têm o físico do tipo «maçã», pois a acumulação de gordura à volta do abdómen faz com que a insulina seja menos eficiente a controlar os níveis de glicose.

As pessoas com diabetes tipo 2 não precisam necessariamente de fazer uma dieta especial, mas se tiverem excesso de peso – o que acontece com cerca de 80% das pessoas com diabetes do tipo 2 -,  é importante que emagreçam. A maioria das pessoas sabe como é difícil seguir uma dieta para perder peso e fazer exercício físico, mas os diabéticos ignoram, muitas vezes, os riscos que correm: qualquer diabetes é grave e pode conduzir a complicações devastadoras.

O excesso de açúcar no sangue danifica os órgãos e o sistema vascular; isso significa que pessoas com diabetes estão muito mais propensas a doenças cardiovasculares e têm três vezes mais hipóteses de ter colesterol alto, hipertensão ou obesidade – cerca de 80% das pessoas com diabetes acabam por morrer de ataque cardíaco ou derrame cerebral.

Causas e tratamento da obesidade

causas e tratamento da obesidade

Uma das causas da obesidade é uma mutação genética que grande uma percentagem dos obesos sofre e que os leva a terem uma fome compulsiva e a preferirem alimentos muito calóricos.

No entanto, convém não esquecer que o meio ambiente tem um papel relevante na manifestação deste fator determinante da obesidade. A título de exemplo, podemos salientar que os filhos de pais obesos têm 80% de hipóteses de virem a ser gordos, sobretudo devido aos maus hábitos alimentares passados de geração em geração.

SINAIS DE ALERTA!
As crianças tenderão a tornar-se adultos obesos quando…